Novos investimentos devem gerar 20,6 mil empregos na Bahia

0
DNT 29-08-2017 BOM JESUS DA LAPA - BA / ESPECIAL DOMINICAL / EXCUSIVO EMBARGADO / ECONOMIA / MAIOR USINA SOLAR DO BRASIL - Parque solar da empresa Enel Green Power na cidade de Bom Jesus da Lapa no interior da Bahia e o maior do pais gerando energia suficiente para abastecer 166 mil residencias por ano - FOTO DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

A Bahia deverá ter, até dezembro de 2021, a implantação de 224 empreendimentos, com investimentos de R$ 13,5 bilhões. A previsão é que sejam gerados 20,6 mil empregos diretos. O balanço é da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), a partir de dados frutos do acompanhamento da secretaria junto às empresas que assinam protocolos de intenções com o Governo do Estado. A propósito, no primeiro semestre deste ano, 31 empreendimentos implantados foram responsáveis pelo investimento de R$ 2,5 bilhões e geração de 5,4 mil empregos diretos.

O vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, João Leão, avalia que os empreendimentos implantados mostram um panorama do trabalho que vem sendo desempenhado pelo governo baiano na interiorização dos investimentos. “Desses novos empreendimentos implantados, 25 estão fora da Região Metropolitana de Salvador, com investimentos de R$ 2,4 bilhões e geração de 2,4 mil vagas, ou seja, as cidades do interior estão sendo industrializadas para que também cresçam economicamente”.

De acordo com a SDE, os segmentos que se destacam na previsão de volume de investimentos e empregos são Eletricidade Gás, com R$ 8,3 bilhões e quatro mil empregos, e Minerais não metálicos, com R$ 1,6 bilhão e 2,4 mil empregos. A secretaria destaca, ainda, a previsão de geração de empregos nos setores de Comércio e Serviços, com 3,2 mil postos de trabalho, e Alimentícios, com 2,6 mil vagas.

Os segmentos de Eletricidade e Gás também foram responsáveis pela maior aplicação de recursos no primeiro semestre de 2019. Foram investidos R$ 1,8 bilhão na entrada em operação de 20 parques eólicos. Já os setores de Comércio e Serviços geraram o maior número de empregos, com 2,8 mil vagas diretas, e a entrada em operação de um centro de distribuição, em Simões Filho.

“A geração eólica é a fonte de energia que mais cresceu no Brasil nos últimos anos e não é diferente na Bahia. A fonte renovável é responsável por 28% da energia gerada no Estado e ocupa a segunda posição no ranking de geração no país. São 156 parques eólicos em operação, espalhados por 20 municípios baianos, com 3,9 mil MW de capacidade instalada”, pontua Leão.

Ainda conforme o gestor, nesse primeiro semestre foram assinados 50 protocolos de intenções, nos mais variados setores econômicos, com previsão de R$ 2,3 bilhões em investimentos e geração de 4,7 empregos diretos. Os segmentos de Eletricidade e Gás continuam sendo destaque no volume de investimentos, com 70% do total previsto para o Estado.

Na análise dos empregos diretos, os setores de Calçados, Couro e Componentes geraram 1.066 e os do Comércio e Serviços abriram 1.049 vagas. O secretário da SDE ressalta que trata-se de setores intensivos em mão de obra, que colocam o Estado como gerador de emprego e renda para a população, a partir da captação desses empreendimentos.

 

A Tarde