Lauro de Freitas propõe rede metropolitana no enfrentamento da violência contra mulheres

0

Aconteceu nesta última semana um ambiente de debates que evidenciaram a urgência na construção de uma rede de defesa das mulheres, a 1ª Jornada Metropolitana de Enfrentamento a Violência Contra a Mulher, além da discussão sobre estratégias de superação dos enormes desafios impostos pela conjuntura política atual e a necessidade de agilizar a aplicação da justiça.

Organizada pelo Centro de Referência Lélia Gonzalez (CRLG), equipamento da Secretaria Municipal de Política para Mulheres (SPM), para homenagear os 13 anos CRLG, a Jornada realizada no auditório da UNIME, em Lauro de Freitas, reuniu cinco municípios da RMS, representantes de instituições, dos movimentos de mulheres, Ronda Maria da Penha e parlamentares.

O evento será encerrado nesta quarta-feira (18) com seis painéis que vão tratar do fortalecimento da participação das mulheres nos espaços de controle social, a exemplo dos conselhos, e o papel das universidades no enfrentamento da violência contra o público feminino.

Linha do tempo

Durante a abertura dos trabalhos foi apresentada uma linha do tempo do CRLG, da sua criação em abril de 2006, na primeira gestão da prefeita Moema Gramacho, até as últimas ações no atendimento a vítimas de violência doméstica. Um ano antes o município já havia criado a primeira Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres do país, reforçando a posição de pioneirismo na proteção a esse segmento.

Coordenadora do CRLG, Sulle Nascimento defendeu a consolidação de uma rede metropolitana de proteção ao público feminino. “A jornada trata de algo que é bastante emblemático, perverso e cruel, que é a violência, mas também da necessidade de consolidação de uma rede metropolitana que reúna organismos, conselhos, movimentos sociais numa parceria de apoio e defesa das mulheres”.

Presente ao evento, a prefeita Moema Gramacho parabenizou a organização da jornada, lembrou conquistas importantes do município no enfrentamento da violência contra as mulheres, e ressaltou a urgência da ampliação dessa rede de proteção.

“Estamos vivendo hoje um dos momentos mais difíceis da história do nosso país, de grandes retrocessos, e se não continuarmos mobilizadas e unidas, corremos o risco de perder muito do que conquistamos ao longo dos últimos anos. Lauro de Freitas é uma trincheira de luta importante, conseguimos implementar aqui equipamentos importantes de proteção à mulher, como o Centro de Referência Lélia Gonzalez, a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, a primeira do Brasil, e a Ronda Maria da Penha, que já está há um ano em Lauro, e continuaremos na luta pela Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher, que vai ampliar ainda mais esta rede de proteção.”

Na mesa de abertura estavam Marizete Moura, coordenadora da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SPM); Dani Costa, representante da SPM estadual; as vereadoras Naide Brito e Luciana Tavares, e a presidenta do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher de Lauro de Freitas, Cleide Resende.