Com gol nos acréscimos, Vitória bate a Ponte Preta fora de casa

0

Um resultado heroico – não há melhor forma de descrever o triunfo do Vitória neste domingo (27), por 2×1, sobre a Ponte Preta, em Campinas. O duelo foi válido pela 31ª rodada da Série B.

Heroico por três motivos: um, porque o gol decisivo veio aos 46 minutos do segundo tempo, com Jordy Caicedo, em linda jogada invididual de Felipe Garcia.

Segundo, porque o rubro-negro ficou com um homem a menos em campo por mais de uma hora de jogo – Leo Gomes foi expulso aos 29 minutos do 1º tempo em decisão, no mínimo, discutível da arbitragem. Àquela altura, o placar já estava 1×0, gol de Wesley.

Terceiro, porque os três pontos conquistados fora de casa fazem o Vitória abrir uma importante vantagem para a zona de rebaixamento. São quatro pontos, a maior diferença conquistada pelo Leão nesta Série B.

O rubro-negro foi a 36 pontos e agora ocupa a 15ª posição – ultrapassou o Londrina, que foi derrotado na última sexta-feira pelo Oeste. O primeiro colocado do Z4 é o Figueirense, 17º, que ficou com 32 pontos.

Dá até para colocar um quarto lado positivo: o Figueirense é justamente o próximo adversário do Vitória, em casa. O duelo direto será no sábado (2), às 16h30.

Saiu na frente
Mesmo fora de casa, o Vitória atuou com enorme segurança durante quase 30 minutos. Não teve a posse de bola, mas com a nova marcação de três zagueiros bem posicionada e escapando com velocidade pelas laterais, o rubro-negro foi quem mais criou.

Aos 18, essa estratégia surtiu efeito prático. Thiago Carleto escapou pela esquerda, Wesley se lançou por ali nas costas da zaga da Ponte e recebeu bola açucarada. Cara a cara com o goleiro, chutou alto e abriu o placar: 1×0.

A marcação ajustada do Leão fez com que a Macaca só assustasse chutando de longe. Aos 20, a melhor chance: Vico arriscou de muito longe e acertou a trave direita.

Aos 29, o Vitória acabou prejudicado pela arbitragem. Leo Gomes, que já tinha amarelo, dividiu com Edson e recebeu o segundo cartão.

O cearense Adriano Carneiro interpretou que Leo Gomes havia entrado com pé alto no adversário, mas foi possível observar na repetição que o atleta rubro-negro sequer tocou no adversário com os pés – no máximo, com as costas.

Tomou o empate
O Leão, de certa forma, abriu mão do jogo na etapa final. A equipe continuou bem posicionada na defesa, o que dificultou a vida da Ponte Preta, mas não conseguiu mais encaixar contra-ataques.

O resultado foi que, mesmo sem conseguir entrar na área do Vitória, a Macaca começou a martelar como podia. Ou seja: chutes de fora da área.

Aos 13, Vico chutou de longe e acertou o travessão de Martín Rodríguez. Aos 16, Arnaldo cruzou na área e João Carlos desviou de cabeça. O uruguaio fez bela defesa.

De tanto martelar, parecia óbvio que em algum momento a Macaca conseguiria empatar. Aos 22, a bola bateu no braço de Zé Ivaldo em cruzamento vindo da esquerda. O pênalti foi marcado e foi convertido por Roger. 1×1.

Geninho mexeu na equipe para tentar dar mais opções de contra-ataque, trocando Anselmo Ramon por Felipe Garcia. Ainda assim, não surtiu efeito. E a Macaca continuou a martelar.

Aos 30, a Ponte acertou a trave de novo. João Carlos recebeu sozinho cruzamento na segunda trave e chutou para gol. Rodríguez, batido, assistiu ela bater na trave.

A Macaca continuou pressionando o Vitória. Foi aí que surgiu a estrela de Geninho. Dois jogadores colocados por ele na etapa final decidiram o jogo a seu favor.

Já aos 46 minutos, Felipe Garcia, que havia entrado no lugar de Anselmo Ramon, recebeu lateral cobrado no lado esquerdo. Ele se livrou da zaga da Ponte Preta e foi até a linha de fundo. De lá, cruzou para Jordy Caicedo, que havia entrado no lugar de Wesley. O equatoriano dividiu com a zaga e fez o gol heroico.

Ponte Preta 1×2 Vitória – 31ª rodada da Série B 2019

Ponte Preta: Ivan, Diego Renan (Arnaldo), Renan Fonseca, Airton e Guilherme Guedes; Edson, Lucas Mineiro (João Carlos), Marquinhos (Alex Maranhão) e Renato Cajá; Vico e Roger. Técnico: Gilson Kleina

Vitória: Martín Rodríguez; Everton Sena, Zé Ivaldo e Ramon; Jonathan Bocão, Léo Gomes, Baraka, Chiquinho (Rodrigo Andrade) e Thiago Carleto; Wesley (Jordy Caicedo) e Anselmo Ramon (Felipe Garcia). Técnico: Geninho

Estádio: Moisés Lucarelli

Gols: Wesley, aos 18 minutos do 1º tempo; Roger (de pênalti), aos 24, e Jordy Caicedo, aos 46 minutos do 2º tempo

Cartão amarelo: Lucas Mineiro E Airton
Cartão vermelho: Léo Gomes
Árbitro: Adriano Barros, auxiliado por Nailton Junior e Eleutério Felipe (trio do CE)

 

 

Correio