Tratamento dentário de Feliciano custou R$ 157 mil para a Câmara

0

Cento e cinquenta e sete mil reais de dinheiro público: esse foi o valor pago pela Câmara dos Deputados para deputado Pastor Marco Feliciano (Podemos-SP) referentes a um tratamento odontológico.

O político disse que precisava corrigir um problema de articulação na mandíbula e reconstruir o sorriso. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

De acordo com a reportagem, o pastor confirmou o valor do tratamento dentário e disse que sofria de dores crônicas relacionadas ao bruxismo. “Sou político e pregador. Minha boca é minha ferramenta.”

 

Feliciano passou pelo tratamento odontológico numa clínica em Luziânia (GO), município de 199 mil habitantes a 47 quilômetros de Brasília.

O reembolso foi apresentado em abril à área de perícia da Câmara, mas foi rejeitado pela equipe técnica. Na avaliação do setor, havia uma incompatibilidade entre os valores apresentados e os preestabelecidos pela Casa, além de problemas na descrição de parte dos procedimentos.

Com um laudo feito pelo seu dentista, o parlamentar recorreu da decisão. A Mesa Diretora, formada por sete outros deputados, acabou aprovando o gasto.

O jornal detalha que todo deputado tem um plano médico ligado à Caixa Econômica Federal que cobre tanto despesas com serviços médicos quanto odontológicos

Desde 2013, a Câmara passou a autorizar quase que automaticamente despesas de até R$ 50 mil. Valores acima disso têm de passar por aprovação da Mesa Diretora, que pode aprovar qualquer quantia. No ano passado, a Câmara gastou R$ 8 milhões em reembolso médico aos parlamentares.

Em nota, a casa afirmou que o reembolso da despesa odontológica foi autorizado pela Mesa Diretora, de acordo com o Ato da Mesa 89/2013, que estabelece as normas para esse tipo de pagamento

 

Correio