Para abrir na quarentena, Havan passa a vender alimentos da cesta básica

0

Enquanto shoppings e lojas de departamentos amargam prejuízos com a pandemia, a rede de lojas Havan incluiu em seu portfólio itens da cesta básica, como arroz, feijão, macarrão e óleo de soja. Com isso, embora se apresente em seu site como loja de departamentos, a empresa vem conseguindo liminares na Justiça para ser incluída na mesma categoria dos supermercados. Mesmo no Estado de São Paulo, onde as regras de isolamento social têm sido mais rigorosas, 20 das 31 lojas da Havan estão abertas. “Estamos nos reinventando, assim como todo o comércio”, afirmou, em nota, o empresário Luciano Hang, dono da rede.

Em lojas como as de Ribeirão Preto e Araçatuba, no interior paulista, é possível encontrar prateleiras com pacotes de arroz, feijão, macarrão e latas de molho de tomate ao lado de artigos esportivos e equipamentos para camping. A prefeitura de Ribeirão Preto informou constar do alvará de funcionamento da Havan a permissão para venda de gêneros alimentícios e de higiene pessoal, “o que significa que seu funcionamento está amparado por decreto federal, desde que obedeça a critérios como a disponibilização de álcool em gel e o uso de máscaras”. Por telefone, um funcionário da loja informou que a nova linha está disponível há dez dias, mas não é o “carro-chefe” da loja, pois quase não há procura. As lojas de Campinas e Valinhos também receberam suprimentos de cesta básica, mas esses produtos não eram encontrados na Havan de Sorocaba. As lojas paulistas funcionam em horário restrito, segundo a empresa, das 9h às 20 horas.
Em suas publicações, a Havan se define como loja de departamentos. No site oficial da empresa, na coluna reservada a alimentos, são oferecidos apenas barras de chocolate, bolos industrializados e cápsulas de café. Não há qualquer referência à nova linha de produtos. O portfólio inclui eletrodomésticos, cama, mesa e banho, artigos para bebê, casa e cozinha, ferramenta e jardim, esporte e lazer, brinquedos e moda. A informação sobre o movimento da Havan foi dada pela Folha de S. Paulo.