Notas de corte no Sisu: entenda os prós e os contras da nova regra que atualiza os dados 5 vezes ao dia

0

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2019 ganhou uma novidade que só foi anunciada horas depois da abertura das inscrições: as notas de corte parciais estão sendo atualizadas em cinco momentos do dia (0h, 7h, 12h, 17h30 e 20h). Até a última edição, o processo ocorria somente à meia-noite.

Segundo professores a mudança ajuda os candidatos a escolherem os cursos de forma mais consciente. Por outro lado, o risco de instabilidade no sistema é um dos contras apontados por especialista. O site apresentou falhas no acesso na terça (22) e nesta quarta (23).

Entenda os prós e os contras da nova regra:

1- Candidatos precisam ser mais ativos

Segundo o coordenador do curso Anglo, Viktor Lemos, os estudantes costumavam entrar somente uma vez ao dia no Sisu: conferiam as notas de corte e consideravam fazer alguma mudança nas opções de curso. Na edição de 2019, esse hábito precisa mudar. “O ideal é que o candidato acesse o sistema diversas vezes ao dia, já que as notas vão oscilar em períodos curtos”, diz.

É possível que um candidato entre no Sisu às 8h e conclua que seria aprovado em engenharia na Universidade de São Paulo, por exemplo. Ele seleciona o curso, então, como primeira opção. Depois, às 18h, as notas de corte já terão recebido mais duas atualizações (às 12h e às 17h30). Ele acessa novamente o Sisu e percebe que o índice subiu nessa graduação. Diante disso, pode mudar sua inscrição e aumentar suas chances de entrar na universidade.

2 – Uso da internet mais intenso

Os candidatos que estão em locais afastados dos grandes centros urbanos, com sinal fraco de internet, podem ter mais trabalho com a mudança do Sisu. O mesmo se aplica para aqueles que têm baixa velocidade de conexão ou que dependem de uma lan house ou do celular de outra pessoa para entrar na web.

Como as notas de corte estão sendo atualizadas cinco vezes ao dia, esses estudantes precisarão se deslocar com mais frequência. “Uma situação é ter internet rápida em São Paulo, por exemplo. Outra é morar em regiões distantes das capitais, onde nem sempre há sinal. Ou não ter wi-fi ou plano de 4G”, afirma Viktor, do Anglo.

3 – Escolhas mais conscientes

De acordo com o coordenador da Oficina do Estudante, Marcelo Pavani, a mudança pode ajudar os candidatos no processo de escolha. “Em um primeiro momento, é algo positivo. Os estudantes terão dados mais precisos para tomar as decisões. É uma bolsa de apostas – e os mais bem informados vão saber fazer uso da novidade para aumentar as chances de aprovação”, explica.

 Inscrições no Sisu vão desta terça-feira (22) a sexta-feira (25) — Foto: Lucas Marreiros/G1

Inscrições no Sisu vão desta terça-feira (22) a sexta-feira (25) — Foto: Lucas Marreiros/G1

4 – Risco para o sistema

Na terça-feira (22), quando as inscrições foram abertas, o site do Sisu ficou instável – candidatos não conseguiam fazer o login e enfrentavam lentidão ao tentar escolher os cursos. Segundo o Ministério da Educação (MEC), houve uma sobrecarga no sistema, que chegou a ter 350 mil acessos simultâneos.

A tendência, com a atualização mais frequente das notas de corte, é que os estudantes acessem mais vezes a página do que em edições anteriores. “Isso aumenta o fluxo de visitas e, ao que parece, não há uma estrutura técnica que suporte isso”, afirma Pavani.

O maior risco de instabilidade do site será na sexta-feira, às 20h, quando será divulgada a última nota de corte parcial. “Com 4 milhões de candidatos, a tendência de uma sobrecarga de visitas é grande. Vai haver uma concentração de acessos entre 20h01 e 23h59. Não dará tempo de diluir”, prevê o coordenador do Oficina do Estudante.

Por isso, uma dica importante: na quinta-feira à noite, os candidatos já devem marcar opções que realmente lhes interessem. Caso haja dificuldades no acesso durante o último dia de inscrição, eles não correrão o risco de ficar de fora da disputa. Afinal, o sistema leva em conta o que estiver assinalado às 23h59 do dia 25 de janeiro.

O G1 entrou em contato com o MEC para saber se haverá alguma mudança técnica que garanta a estabilidade do Sisu. Até o início da tarde desta quarta (23), a pasta ainda não havia respondido.

5 – Candidatos mais ansiosos

A espera pelos resultados já é grande. Com a possibilidade de ver as notas de corte mudarem diversas vezes ao dia, a tendência é que os candidatos fiquem mais ansiosos para saber se conquistarão uma vaga na universidade.

“Quem tem uma nota muito próxima ao índice de corte vai ter vida agitada. Pode ser que, num mesmo dia, esteja dentro e fora da lista de aprovados. Claro que isso já ocorria antes, mas os estudantes não conseguiam acompanhar essas oscilações”, diz Edmilson Motta, coordenador do Etapa. “É terrível ficar olhando tantas vezes no site. Precisa ter muito autocontrole.”

O professor Vinicius Haidar, coordenador do Poliedro, levanta outra questão. “Até a última edição, sabíamos que a tendência geral era que as notas de corte subissem um pouco. Com essa mudança, é provável que os candidatos fiquem mudando diversas vezes de curso. Não se sabe ainda se as oscilações da nota vão ser maiores.”

G1