Negros são maioria em candidaturas, mas população elege mais brancos

0
????????????????????????????????????

Uma pesquisa realizada referente ao ano de 2018 divulgada nesta quarta-feira (13) pelo IBGE, com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), revelou que, em 2018, 7 em cada 10 candidaturas lançadas na Bahia para cargos legislativos forma de pretos ou pardos, mas somente 4 em cada 10 foram eleitos.

Entre os candidatos a cargos legislativos federais ou estaduais nas eleições de 2018, a proporção de pretos ou pardos era relativamente alta na Bahia, embora ainda inferior à representatividade na população total (81,1%).

Para se ter uma ideia, a Bahia só teve sua primeira mulher negra eleita deputada estadual no ano passado, com a vitória de Olívia Santana (57.755votos).

Dos 503 candidatos a deputado federal pelo estado, 71,8% eram pretos ou pardos (361). Já entre os 643 candidatos a deputado estadual, 75,6% eram pretos ou pardos (486).

No Brasil como um todo, no ano passado, 41,8% dos 8.588 candidatos a deputado estadual se declararam pretos ou pardos. Entre os candidatos a deputado estadual, a proporção foi de 49,6%.

Entretanto, segundo o IBGE, mesmo sendo franca maioria entre os candidatos, os pretos ou pardos não foram nem metade dos eleitos parlamentares pela Bahia em 2018.

No Congresso Nacional, dos 39 deputados federais do estado, 18 se declaram pretos ou pardos (46,8%). Já na Assembleia Legislativa baiana, dos 63 deputados estaduais, 29 são pretos ou pardos (46,0%).

Em todo o país, 24,4% dos deputados federais e 28,9% dos deputados estaduais eleitos em 2018 são pretos ou pardos. Do mesmo modo, na Bahia também os candidatos a deputados federais e estaduais pretos ou pardos eram bem mais representativos entre os que tinham campanhas com menos recursos financeiros.

Na disputa para a Câmara dos Deputados, os candidatos baianos pretos ou pardos eram 73,2% entre aqueles cuja campanha tinha receita menor que R$ 100 mil e apenas 35,7% daqueles com uma campanha que dispunha de mais de R$ 1 milhão.

No caso da Assembleia Legislativa do estado, os candidatos pretos ou pardos eram 80,7% dentre aqueles com receita de campanha menor que R$ 50 mi e 41,2% entre aqueles cujas campanhas dispunham de mais de R$ 500 mil.

A participação de pretos ou pardos no estado, tanto entre candidatos quanto entre eleitos, foi mais representativa nos Legislativos municipais. Entre os candidatos a vereador em 2016, os pretos ou pardos eram 79,8%, ou 27.338 de um total de 34.268. Ao todo, 3.361 se elegeram, representando 73,7% do total de vereadores nos municípios baianos.

 

 

 

Bahia.ba