Cooperativismo, o modelo do futuro na Bahia, é agora

0

 

As cooperativas de crédito caminham para significar 20% do crédito do país. As cooperativas de saúde, transporte, consumo , trabalho , turismo e lazer , produção , infraestrutura , todas elas reúnem no Brasil mais de 14 milhões de brasileiros diretamente e cerca de 60 milhões indiretamente.
Onde existe uma boa cooperativa o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é superior, a renda per capita da mesma forma superior. E a desigualdade é enfrentada com dignidade.
Na Bahia o sistema Oceb / Sescoop /SomosCoop Bahia tem atuado fortemente no desenvolvimento das cooperativas com educação e formação de lideranças e da gestão .
Conversei nesta semana passada com dois líderes cooperativistas: José Antônio Rossato , presidente da coplana, e José Vicente da silva , presidente do conselho da coopercitrus , do estado de São Paulo
Ambos reafirmaram a crença total no inexorável grande crescimento do agro para os próximos 10 anos e, da mesma forma, para mais do que dobrar o tamanho das suas cooperativas, com diversificação e criação de valor aos cooperados .
O modelo cooperativista e a intercooperação, inclusive internacional , representam para o empreendedorismo segurança de progresso e podem significar para o estado brasileiro a ordem ética democrática impressa na nossa bandeira .
A razão é simples, as cooperativas surgiram de grandes crises, dores e sofrimentos . Com isso precisaram criar uma sociedade ética, integra, justa e democrática.
Para que o Brasil cresça precisaremos dobrar a dimensão do agronegócio, e para que isso aconteça , precisaremos da filosofia cooperativista e um estado cooperativo como modelo sócio político e econômico
Cergio Tecchio é líder cooperativista , cidadão baiano , presidente do sistema oceb / Sescoop . É uma personalidade importante no cenário nacional e sem duvida fundamental para o desenvolvimento dos pequenos e médios produtores de toda a Bahia , desde o campo até a gastronomia .
A Tarde