Chuva x malhação: saiba como fugir das desculpas e manter o ritmo

0

Durante o inverno, Salvador e RMS registra tempo chuvoso e temperaturas mais frias, mesmo sendo uma região com clima tropical. Nesta época, muitos frequentadores de academia utilizam estas mudanças como desculpa para não malharem, interrompendo a sequência de exercícios.

Porém, algumas pessoas evitam deixar que o tempo chuvoso atrapalhe a rotina. É o caso de Adilton Reis, 41 anos. Apaixonado por exercícios físicos, o gerente comercial foge de desculpas e vê a academia como um divisor de águas em sua saúde.

“A academia se tornou muito importante porque, antes, a minha respiração não era muito legal, meu condicionamento não era muito bom e até mesmo para fazer algumas atividades do dia-a-dia era complicado. Depois que eu comecei a treinar, tudo ficou melhor: carregar algum objeto, abaixar para fazer algo em casa”, explica.

De acordo com Adilton, o tempo frio não o impede de treinar. “A pessoa acaba tomando gosto pela atividade e, quando não treina, independente do clima, fica com uma dor na consciência”. Ele diz que a academia é seu primeiro destino do dia, às 7h30. Logo depois, Adilton toma banho, se alimenta e segue para seus compromissos com mais disposição.

E quando não é possível ir para academia? O gerente comercial diz que não há problema. “Quando eu não posso ir, faço um treino bem básico em casa: alguns apoios no solo, tríceps na escada e alguns abdominais”, explica.

Adilton também vê que academia vai além de um local para definir a forma física. “A academia mudou a minha vida física e psicológica. Hoje eu faço tudo com mais ânimo, estou sempre disposto, alegre e sem nenhuma dor muscular graças às atividades físicas. E mais: quem nunca fez não sabe o bem que faz na vida de um ser humano que quer viver sem dores e estresses”, completa.

Academias ficam mais vazias no inverno

De acordo com o educador físico Daniel Ramos, as academias são menos procuradas pelos alunos durante o outono e o inverno. “É bem comum ocorrer uma pequena baixa no fluxo durante este período, porém não é algo que perdura durante muitos meses. A consciência e o desejo de cuidar da saúde e estética têm crescido nos últimos tempos de forma muito significativa”, pontua.

Questionado sobre a ‘operação verão’, onde muitos buscam a academia na reta final do inverno para recuperar o prejuízo, Daniel alerta: “Pessoas que pensam em construir um físico bacana em alguns meses, como se fosse em um passe de mágica e extremamente fácil, na realidade preocupam. Na maioria das vezes, elas partem para meios sem muitas informações, colocando a saúde em risco. O seu corpo é reflexo do que come e faz todos os dias, simples assim”.

Já o fisioterapeuta, Gil Pita, vê a ‘operação verão’ como algo quase cultural. “A grande maioria dos praticantes de musculação, dentre outras atividades, tendem a deixar de se preparar de última hora para tentar conseguir o tal do ‘shape ideal’, durante um curto período de tempo, sendo que, sempre conscientizamos os praticantes de atividade física, que a prática deve ser um hábito de vida saudável, independente de atingir o tal do ‘shape ideal'”.

Gil comenta que é importante manter uma disciplina, assim, com um objetivo específico, independente da estação do ano, torna a prática como hábito de vida. “A dica para quem se desmotiva fácilmente é que procure manter um feedback com o treinador, relatando para ele, o que faz desmotivá-lo e que o treinador também saiba identificar. Essas trocas de informações são muito importantes para mantê-lo motivado e fazer da atividade física”, comenta.

Aos que se desmotivam facilmente, por não ver um resultado imediato, uma dica: com paciência e constância, a conquista é garantida. Lembre-se sempre que o processo depende da sua dedicação.

A Tarde