CANDEIAS: MOTORISTA DE TRANSPORTE É AGREDIDO EM BRIGA; PERMISSIONÁRIOS REALIZAM MANIFESTAÇÃO

0

Um motorista do transporte alternativo do município de Candeias, região metropolitana de Salvador, ficou ferido durante uma briga com um motorista clandestino na tarde desta quinta-feira (25). A confusão começou por voltas das 15h30, em um de ponto de ônibus, localizado no bairro Ouro Negro.

Na discussão, o motorista clandestino atingiu a vítima, identificada como Franquilim Alves Cardoso, de 43 anos, com golpes de facão. Ele foi levado para o Hospital Ouro Negro com ferimentos no braço esquerdo, mãos e cabeça. De acordo com a vítima, o agressor tentou invadir o Hospital e foi contido pelos seguranças. A Polícia Militar foi acionada para conter a confusão. “Manobrei para pegar um passageiro, o cidadão atravessou na frente do hospital, atravessou o carro e veio me provocando. Meu carro chocou com o fundo do carro dele. ele saiu do carro, tirou o facão e veio me agredir. Entramos em luta corporal até que cortou meu braço, minha mão. Entrei no hospital até que ele veio dizendo que ia terminar o serviço”, contou o motorista.

Após o incidente, os permissionários do transporte alternativo realizaram uma manifestação em frente a Prefeitura de Candeias e pedem maior fiscalização do Poder Executivo para combater o transporte clandestino de passageiros. Os representantes da a Cooperativa dos Motoristas Autônomos de Candeias e Região metropolitana (Coopercan) se reuniram com a Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte onde foi marcada uma nova reunião foi marcada esta sexta-feira (26), às 8h, no gabinete do prefeito Dr. Pitágoras Ibiapina (PP). 

Os motoristas ameaçam parar as atividades caso não haja uma resposta definitiva sobre a situação do transporte clandestino. “Nosso colega sofreu uma tentativa de assassinato e, graças a Deus não aconteceu o pior. A gente espera que da própria Secretaria, da prefeitura, da Polícia Militar que esse sangue derramado do nosso colega não tenha sido em vão. A gente quer uma resposta dos órgãos competentes para que se resolva esse problema”, afirmou o presidente da Coopercan, Robério Gomes.

 

 

 

Bocão News